Greve dos servidores da educação em Cuiabá deixa 30 mil estudantes sem aula

39
(Foto: Chico Ferreira)
Depois de decidirem pela greve em assembleia na última quarta-feira (26), os servidores da educação da rede municipal de Cuiabá paralisaram suas atividades nesta segunda-feira (1). Com a greve, cerca de 30 mil estudantes tiveram as atividades paralisadas. A categoria estima que entre 70% a 75% dos servidores aderiram à paralisação.
Eles reivindicam, dentre outras coisas, pelo aumento no ganho real e acreditam que a proposta inicial Emanuel Pinheiro (MDB) não atende as demandas da categoria.
Uma última proposta, no entanto, feita pelo secretário municipal de Educação, Alex Vieira Passos na última sexta-feira (28), deve ser analisada durante assembleia marcada para esta terça-feira (2). Ela prevê o aumento do ganho real de 2,5% a todos os trabalhadores. Caso a proposta seja aceita, a greve acaba.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público, subsede Cuiabá, João Custódio da Silva, afirmou que o documento não contempla o valor reivindicado, de 4% de aumento.
“A nossa avaliação inicial é de que o documento não contempla aquilo que a gente reivindicou, mas essa decisão deverá ser tomada pela categoria. Nós entendemos que é possível inserir o valor pedido na folha de pagamento de todos os trabalhadores. Podemos dizer que temos uma melhora significativa na proposta, mas ainda está um tanto quanto tímida”, disse o sindicalista ao
De acordo com a proposta, os 2,5% de reajuste deve ser pago de forma escalonada, sendo 1 % em dezembro e os outros 1,5% em janeiro de 2019.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here