Maluf quer voltar à presidência, defende redução de duodécimo e revisão do “teto”

49
*Foto: Divulgação)
Primeiro-secretário da atual Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (ALMT), o deputado Guilherme Maluf (PSDB) lançou sua pré-candidatura à Presidência do Poder Legislativo, votação que ocorrerá em fevereiro de 2019. Buscando retornar ao cargo, o tucano defende a redução de duodécimo e a revisão da Emenda Constitucional dos Gastos Públicos, conhecida como PEC do Teto.
Em entrevista concedida à rádio Capital FM, nesta quinta-feira (18), o tucano afirmou que quer debater a construção dos orçamentos aos Poderes. “Hoje não está muito claro isso. Tem uma série de regras, inclusive a Assembleia aprovou a PEC do Teto, e acho que a PEC deva ser revista de uma forma ou de outra. Já está previsto na própria PEC uma revisão em 2019”, disse.
“Então eu acho que é possível sim reduzir, mas desde que seja de uma maneira unânime, mas sobretudo um enxugamento nos Poderes e cortar na carne do próprio Executivo”, revelou.
Maluf lembrou que nos últimos 4 anos o Legislativo devolveu recursos ao Estado, se referindo aos atrasos nos repasses de duodécimo durante a gestão Pedro Taques (PSDB).
“Tudo que nós tínhamos de gordura foi queimado nessa retenção desses recursos. E esses recursos deveriam ser devolvidos obrigatoriamente para nós. Mas podemos discutir em deixar com o Poder Executivo, abrir mão dele”, pontua.
Porém, o parlamentar disse que não será a redução dos orçamentos dos Poderes – Assembleia, Tribunal de Justiça (TJMT), Ministério Público (MPE), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Defensoria Pública -, que resolverá a crise fiscal e financeira de Mato Grosso.
“É uma contribuição muito pequena. Precisamos discutir a taxação de segmentos, como o agronegócio, o enxugamento da máquina pública, temos que discutir outras alternativas porque é muito pouco se a gente chegar ao ponto de reduzir o duodécimo”, afirmou.
Apesar de se colocar como candidato, Guilherme Maluf não descartou a possibilidade de compor com outras candidaturas, como a do atual presidente da Casa, Eduardo Botelho (DEM) e a deputada Janaina Riva (MDB), a mais votada em 2018
“Não vejo dificuldade em compor com nenhum dos deputados. Acho que os deputados novos também devem participar da mesa. Não tenho dificuldade de compor com Eduardo Botelho (DEM), Janaina Riva (MDB), com ninguém que dos antigos também. Agora eu elaborei uma plataforma pra que eu possa trabalhar em cima dela e para continuar na Mesa”.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here